sexta-feira, setembro 02, 2011

HOJE

(imagem recolhida na internet)
.
Hoje,
Que o pulsar do coração
Pintalgou de ternura
O sonho da esperança,
- Ilusão de poetas -
Sorrio!
.
Hoje,
Que o silêncio das almas
Cavalgou a superfície
Deste mar agitado,
Que é dor de poetas,
Estou só!
.
Hoje,
Que o fragor das ânsias

Arrebatou as ideias
Rasgando saberes
E o sentir de poetas
Perco-me!

.
Hoje,
sorrio,

porque estou só,
mas perco-me!
.
Vítor Cintra
Do livro: ENTRE O LONGE E O DISTANTE

3 comentários:

Maria da Luz Borges disse...

Comovente! e nunca estás só... Eu estarei sempre contigo!

Anónimo disse...

Lindíssimo! Seus poemas sempre me encantam e comovem! Parabéns, Vitor, querido amigo e poeta! Ana Ferreira

Anónimo disse...

Pouco importa distancia, mares..
Estarei sempre contigo
Meu querido amigo
Bjsss