domingo, agosto 14, 2011

AVÔ

(imagem recolhida na internet)
.
Quantas farturas tão parcas;
Quantas carências vividas;
Quantas angústias sentidas,

Para gravar essas marcas.
.
Marcas que a vida deixou
Nesse teu rosto enrugado,
Onde se lê que o passado
Te foi difícil, avô.
.
Mas, no caminho dos anos,
Nem mágoas, nem desenganos,
Te viram perder o norte;
.
Nem foram razão bastante
P'ra te lançar num errante
Caminho, buscando a sorte.
.
Vítor Cintra
No livro: AFAGOS


3 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido Victor

Vidas que foram vividas com muito sacrifício e parcos recursos.
Adorei como sempre e deixo o meu beijinho.

Rosa

Maria da Luz Borges disse...

Lindo!

nona e eu disse...

lindo, eu particularmente nunca deixo de admirar e me deleitar nessas vidas já tão vividas..., onde temos somente de agradecer por simplesmente poder desfrutar... um abraço