segunda-feira, fevereiro 07, 2011

ILUSÕES

(imagem recolhida na internet)
.
Ardem desejos enormes
No dia a dia dalgumas
Almas, perdidas, errantes;
São como sonhos disformes
De causas, poucas, nenhumas,
Vindas em vidas distantes.
.
No mundo dos impossíveis,
Traçam-se rumos de vidas,
Sem ter em conta razões.
Quando, mais tarde, visíveis
Ficam os nós e subidas,
Murcham quaisquer ilusões.
.
Vítor Cintra
Do livro: AFAGOS

3 comentários:

R.B.Côvo disse...

Gostei do poema. Um abraço.

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Como sempre adoro ler os teus poemas, são lindo sempre.

Deixo um beijinho carinhoso
Sonhadora

Sandra disse...

Muito bom.
Voltarei mais vezes.