terça-feira, maio 26, 2009

LOUCOS




Não são muitos, nem são poucos,
Os poetas, bem seguros,
Encerrados entre muros
Sob o rótulo de loucos.

São apenas os bastantes
P'ra provar que a poesia
É temida, e não devia,
Tanto ou mais do que era dantes.

Porque abordam quaisquer temas,
Nas estrofes dos poemas,
Incomodam co'as verdades.

É por isso que os poetas
São, por formas indirectas,
Reprimidos entre grades.

VITOR CINTRA
do livro " RELANCES "

2 comentários:

Ana Martins disse...

Muito, muito bom mesmo este soneto, com uma musicalidade agradável e rima perfeita, para além de falar de umas quantas verdades que fazem parte dos poetas.

A D O R E I !!!!!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

ISA disse...

Lindo este soneto. Com algumas verdades. Nem tantas como dantes, mas algumas. Os poetas escrevem verdades que nem sempre são boas de ouvir ou ler. Nos entanto para a frente é o caminho. E quanto mais os poetas esctreverem sobre o amor, o desamor, a liberdade e a politica melhor será.
Jokas
Isa