segunda-feira, fevereiro 25, 2008

ECOS




ECOS

Ecos dum tempo distante,
Que se findou num momento,
E, por ter sido tormento,
Se recorda a cada instante.

Ecos dum tempo passado,
Mas que se tem tão presente,
Porque um viver imprudente
Fez que ficasse lembrado.

Ecos de vida, que à toa,
Não sendo má, não foi boa,
Num mundo feito de becos;

E que não tendo saída,
Nem curta foi, nem comprida,
Mas que deixou tantos ecos.


VITOR CINTRA
do livro " Relances "










3 comentários:

Odele Souza disse...

Deixou "ecos".

Talvez seja melhor do que ter a memória vazia, sem eco nenhum....

UM beijo.

cõllybry disse...

Eco que nos acompanha, neste exercicio diario de viver...

Doce beijo

maresia_mar disse...

cada vez que aqui venho sinto-me em paz, aqui tenho pinturas de palavras.. gosto de cada poema, de cada imagem.. Parabéns por tudo o que escreves.
Boa Páscoa. beijos