sábado, março 03, 2007

ERICEIRA





ERICEIRA


Debruçada sobre o mar,
Vendo as ondas rebentar
Entre calmas e furores,
Ericeira permanece
Vila simples, que parece
Falar só de pescadores.

Do mar vem-lhe mais sustento
Quando as ondas, mais o vento,
Lhe permitem ir á faina;
E diverte-se o " surfista ",
Se essas ondas fazem crista,
Quando o vento norte amaina.



Vitor Cintra

Do livro " À DISTÂNCIA "

6 comentários:

leituras disse...

Um belo poema, que resume nas suas estrofes o encanto dessa vila que a imagem mostra.

Boa semana

gato_escaldado disse...

Muito bem.Gostei do poema. REspira-se a "alma" da Ericeira. Abraçis

Cecilia disse...

Lindo Poema vila de Ericeira a observar o lindo mar, a natureza numa vila de pescadores. Parabéns!!!
Abraços...
Cecilia

Manel do Montado disse...

Bonito poema para uma bonita terra.
A hsitória de Portugal está associada a essa localidade de forma tão drástica. A fuga da corte para o Brasil por via das invasões napoleónicas colocou-a para sempre na história do nosso país.
Um abraço

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Bonito Poema. Palavras merecidas a essa vila que adoro: Ericeira.
Adorei

Marianne disse...

A mesma profundidade e sentimento
inexprimíveis, para descrever o amor, a paixão, ou os belos sítios
portugueses, assim é o enlevo que nos transporta a Poesia de Vitor Cintra.