sábado, fevereiro 24, 2007

DESGARRADAS








DESGARRADAS


Na solidão do meu mundo
Mergulho no desespero,
Sofrendo cada segundo
Mais penas, porque te quero.



São margaridas, as flores
Tão belas quanto mimosas;
Tão gratas são os amores,
Como à paixão são as rosas.


Há mais calor no sorriso
Que faz promessa de beijos,
Do que o calor que é preciso
Para acender os desejos.


Cada promessa calada,
Quando se fala de amor,
É como rosa fechada
Entre roseiras em flor.


É no momento mais duro,
Quando o amor se deseja,
Que o coração, mais seguro,
Cede á paixão e fraqueja.




Vitor Cintra


Do livro " À DISTÂNCIA "

3 comentários:

Papoila disse...

Gostei detas desgarradas.
Beijo

collybry disse...

Vim de outro blog, e gostei muito de ler estas belas Poesias...meu rasto deixo___________Cõllybry

leituras disse...

Poemas lindos.

Boa semana