domingo, março 18, 2007

CASTELOS....poema de VITOR CINTRA




CASTELOS

À volta dos meus castelos,
Erguidos no dia a dia,
Há sombras de nostalgia,
Que surgem ao descrevê-los.


Muralhas ontem erguidas,
Por medos insuspeitados,
Queixumes, quantos calados,
Vergonhas, nunca assumidas.


Do tempo verteram horas
Que a vida deixou passar,
Castelos, feitos no ar,
Por pressas, ou por demoras.


E tudo o que resta ainda
Erguido, como muralha,
Não passa duma mortalha
Da vida, que já se finda.



Vitor Cintra

Do livro "PEDAÇOS DO MEU SENTIR"
( à venda nas livrarias)

5 comentários:

collybry disse...

A vida que ainda não é finda, daqui destas muralhas...bjca

leituras disse...

..........

É sempre um prazer ler e reler cada um destes poemas.

Boa semana

..........................

Manel do Montado disse...

Um poema que encerra de belo o que tem de duramente cruel e verdadeiro; A inexorável corrida do tempo numa só direcção.
Um abraço

maresia_mar disse...

Ola
pois a nossa vida tem destas coisas, muitas vezes construimos muralhas à nossa volta..
Prometo que vou pensar bem sobre o futuro do meu blog, de facto alguns amigos tão especiais merecem que eu por cá continue. tirei agora um bocadinho para tentar fazer umas visitas.
Boa Páscoa e boa semana

Marianne disse...

Um poema belíssimo, escrito com o profundo lirismo que é uma constante na obra de Vitor Cintra.