terça-feira, novembro 21, 2006

DIVAGANDO






DIVAGANDO


Ao divagar vi um mundo
De amor, de paz e justiça
P’ra descobrir, num segundo,
Ganância, dor e preguiça.
E, divagando, pensei:
“ Será que o mundo tem lei? ”

Ao divagar vi verdade,
Razão, prudência, lisura,
P’ra descobrir falsidade,
Traição, inveja, amargura.
Só, divagando, se vem
Dizer que o mundo está bem.

Ao divagar vi grandeza
Nos actos, nos sentimentos,
P’ra descobrir a baixeza
Nos gestos e pensamentos.
Mas, divagando, se diz
Que o mundo vive feliz


Vitor Cintra

Do livro “ Alegorias”

5 comentários:

maresia_mar disse...

Oh as saudades que eu tinha de vir aqui... estava mesmo a precisar... aqui respira-se vida, oxigénio.. adoro os poemas, as imagens, o colorido...
Um dia destes posso colocar no meu blog alguns destes poemas? Claro que reservando todos os dtºs de autor.. é que gosto mesmo do que escreves.. Bjhs e bom fds

Manel do Montado disse...

Retrato falado do Portugal de hoje, todo ele apostado no materialismo e nos egocentrismos desenfreados.
Quanto ao poema, é mais um onde a tua capacidade de análise e de síntese permitem em poucas palavras apreender e retratar um mundo que fingimos quase…quase que (im) perfeito.
Um abraço

Unicus disse...

Aqui respira-se arte..
Abraço

Anónimo disse...

Mais um poema profundamente objectivo.
Bjs

manoel donini disse...

Vitor Cintra; poeta com grandesa de alma.Seria bom que pudesses divagar; e ver somente; um mundo de amor e de paz , razão, justiça e lisura, mas o artista precisa usar sua composição para mostrar a realidade...
Mas, mesmo sendo triste ; é licioso ler-te.
Aplausos e abraços.