domingo, janeiro 03, 2010

ESTOU SÓ

No cair da noite,
Chega a saudade
Para adensar as brumas.
As estrelas
Ciciam-me o teu nome.
Ao vê-las,
A lua,
Atenta à minha solidão,
Esboça um bocejo de escárnio,
Que me desliza na alma
E vem toldar-me o coração.
É a hora do teu sorriso,
Que já não vejo.
É o instante da ternura,
Que já não respiro.
O negrume da morte
- Que te roubou -
Lança-me a angústia
Por companheira
E deixa-me mergulhar no vazio.
.
Estou só!
.
Vítor Cintra
Do livro: Pedaços do Meu Sentir

4 comentários:

Sonhadora disse...

Querido victor.
lindissimo poema de solidão.

E deixa-me mergulhar no vazio.

Estou só!

Aqui nestas frases se lê o poema.
adorei.

Beijinhos

Sonhadora

AFRICA EM POESIA disse...

VITOR

Feliz Ano Novo...

NOVO ANO

Novo Ano
Nova Vida
Nova Esperança ...
Novo Recomeçar ...

E neste Ano

Eu quero
Nova Vida
Nova Esperança
Novo Renascer ...

Com a certeza
Que se quisermos
Podemos fazer
Deste Ano ...

Um Ano Novo
Um Ano Melhor! ...

LILI LARANJO

Um beijo

Fabi Paranhos disse...

Que bela "solidão" descrita nesses versos teus.

Abração

FERNANDA & POEMAS disse...

MEU QUERIDO AMIGO VITOR... COMO ADORA A TUA POESIA, FAZ BEM Á MINHA ALMA... LINDO O TEU POEMA... ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA