sexta-feira, dezembro 18, 2009

Pobre....Poema de Vitor Cintra


















RESPEITO


Pelas beiras dos caminhos
Sabe Deus quantos velhinhos
Andarão neste Natal,
Sem que o mundo à sua frente
Lhes prometa que o presente
Não será sempre o normal.


Quando o hoje é semelhante
Ao passado, já distante,
Como o ontem foi igual,
O futuro não existe
Num presente, que é tão triste,
Sem prever melhor final.


O saber de muitos povos
Determina que os mais novos
Reconheçam no idoso,
Na velhice, ter direito
A viver com mais respeito
E uns anos de repouso.


Mas serão tão atrasados
Esses povos, apontados
Como gente mais selvagem?...
Ou será que o ocidente,
Se tornou tão indif'rente,
Que resusa aprendizagem? ...

 VITOR CINTRA

" Relances "

4 comentários:

Sonhadora disse...

Victor
Meu querido Amigo
Belo e triste poema, infelizmente muito verdadeiro.


Quando o hoje é semelhante
Ao passado, já distante,
Como o ontem foi igual,
O futuro não existe
Num presente, que é tão triste,
Sem prever melhor final.

Lindo.

Beijinhos

Fabi Paranhos disse...

Belo post e lindo blog!
Sigo-te.
Abraço meu!

Manu disse...

Poeta Vítor Cintra!

À evidência ninguém se rende
e render-se ninguém pretende
pobreza alheia é miragem gira
são os magos que não querem ver
e a pobreza só vão reconhecer
quando o feitiço a eles se vira

Bom Domingo. Abraço.

Катерина disse...

полностью не перевела, но те отрывки что смогла перевести, мне понравились!