domingo, novembro 08, 2009

NADA









Não tenho nada !

Nem terra, nem casa ou pão,
Nem mágoa, dor ou paixão,
Nem restos de uma ilusão,
Nem amizade aos que estão!
Não tenho nada de meu!

Não tenho nada!

Depois de tanto ter tido
E o mundo ter percorrido,
De haver brocados vestido
E ter co'os grandes vivido,
Tomando a terra por céu.

Não tenho nada!

Nem quero ter novamente!
Seja o futuro dif'rente,
Ou seja como o presente,
Que faz feliz tanta gente,
Que até vergonha perdeu.


VITOR CINTRA
do livro " Entre o Longe e o Distante "

3 comentários:

Sonhadora disse...

Victor
Muito profundo.muito lindo este poema
Beijos

Manu disse...

Poeta Vitor Cintra!

Apenas nada, é tudo o que tenho
agora não mais baterei no fundo
mesmo assim aqui estou e mantenho
respirando na superficie do mundo

E com a simplicidade o poeta faz um poema que obriga à reflexão. Abraço.

tulipa disse...

Olá Poeta Vítor

Vim agradecer-lhe o facto de se tornar "seguidor" do meu "Momentos Perfeitos" e aproveitei para espreitar mais uma vez o seu espaço na blogosfera.

Temos uma paixão em comum, a poesia.
Sou também uma apaixonada por fotografia.
Este ano de 2009 já realizei 3 exposições e vou a caminho da 4ª exposição de fotografia, agora em Novembro, em que o tema é a Índia.

Tudo isto é magia, porque a magia pode estar apenas num sonho, num local, em nós ou nos outros… pode estar no amigo que nos cumprimenta, no abraço ou no enlace… no corpo ou na alma… nos olhos, no rir ou na lágrima… a magia é o que quisermos que ela seja…

Obrigado e seja feliz.
Um abraço.