sexta-feira, outubro 23, 2009

BEIJOS poema de VITOR CINTRA



Um beijo só, abre o mundo,
Gera a visão, num segundo,
De doces céus, felicidade,
Sonhos, paixão, ansiedade.

Acende luzes, mil cores,
Loucos desejos, ardores.
Dita silêncios, ousados,
Com mil segredos trocados.

Desperta fadas, druidas,
Ondas de choque sentidas.
Cala o pudor dos sentidos.

Denvenda mundos perdidos,
Solta ilusões reprimidas,
Ânsias de posse sentidas.

VITOR CINTRA


do livro
" Entre o Longe e o Distante "

3 comentários:

Manu disse...

Poeta Vitor Cintra!

O beijo pode ser incoerente
valer muito ou não valer nada
o beijo é único, relativamente
dependendo da pessoa beijada

Já li "Entre o longe e o distante" e vejo-o como o seguimento lógico do "Pedaços do meu sentir". E assim se constrói uma obra poetica - por etapas. Forte abraço

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO AMIGO VICTOR CINTRA, ADOREI O SONETO... MARAVILHOSO E GRANDIOSA FORMA DE ESCREVER... ABRAÇO-TE COM TODO O CARINHO,
FERNANDINHA

Sonhadora disse...

Victor
Um poema lindo...não tenho palavras
Um abraço
Sonhadora