domingo, março 22, 2009

RESTOU-ME



Restou-me, doutros tempos, o sentido
Que faz acreditar que a realidade
Encontra sempre um fundo de verdade,
Naquilo que se diz p'ra ser ouvido

Restou-me, doutras vidas, o cuidado
De nunca crer em tudo o que se diz,
Buscando, desses ditos, a raiz
P'ra não julgar ninguém, de modo errado.

Do tempo, que se escoa agora, apenas
Se deve acreditar que a humanidade
Se não afundará na insanidade;

E crer que as coisas grandes, e as pequenas,
Embora muitas vezes não pareça,
Farão valer que a vida se mereça.


VITOR CINTRA
do livro " À Distância "

5 comentários:

Luz disse...

Sábio conselho, procurar saber a raíz daquilo que se ouve, para não julgar de modo errado.
E eu que sou daquelas que acredito sempre em tudo o que me dizem, vou tentar pôr este conselho em prática. Acho que me facilitava a vida!...
Obrigado pelo conselho
Luz

Valdemir Reis disse...

Vitor muita Paz! Uma águia voando pousa neste interessante e maravilhoso espaço. Confesso que gostaria de visitar com mais freqüência, ocorre que as atividades só me permitem fazer no final de semana. Cada vez que retorno me sinto melhor e mais familiar. Parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido. Gostei do tema. Na oportunidade quero de coração agradecer a todos que nos visitam, comentam e seguem, por tudo isto sinto-me honrado e entre amigos. Muito obrigadoooooo.... Estou esperando você e volte sempre! Votos de grandes realizações e prosperidade. Que as bênçãos divinas nos protejam e ilumine. Tenha um alegre e festivo final de semana. Deixo um abraço fraterno.
Valdemir Reis

manzas disse...

Belo soneto!

Engano com palavras mudas o grito que cala
Esperanças na ponta da lança que fere o peito
Atingindo sentimentos sentidos por defeito
Descritos pelo som da escrita, que por si fala

Passando para agradecer a gentil visita
Retribuindo de uma forma que emana
Em aqui estar e ler sua sublime escrita
E desejar-lhe uma extraordinária semana

O eterno abraço…

-MANZAS-

Ana Martins disse...

Lindo soneto!!!!!!!!
Restou a coerência e a maturidade!

Beijinhos,
Ana Martins

IsabelPreto disse...

Já não resisto a passear neste lindo cantinho de magia! Aqui repouso meus olhos, colho esperança...bebo sabedoria.
Obrigada.