quinta-feira, setembro 20, 2007

PALHAÇO









PALHAÇO





Num palco que não existe,

Contrário ao que é 'sperado,

Actua um palhaço triste.

Por isso mesmo lembrado.






Num diz que diz, recitado,

Sabendo ser utopia,

Surgiu, embora pintado,

Palhaço sem alegria.






Não vive num faz de conta,

Sem ter em conta o que resta

Na vida, que quer honesta.



Nem sente qualquer afronta

Por ver, que em tempo passado,

A vida passou-lhe ao lado.




VITOR CINTRA




do livro " Divagando "

5 comentários:

Odele Souza disse...

Bonito poema.
Um abraço.

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Mágico momento de divagação.

Fernanda e Poemas disse...

Lindo poema.
Adorei!!!
Beijinhos,
Fernandinha

Vera disse...

Excelente!
Um palhaço triste, como tantos de nós!

Beijinhos

*©õllyß®y disse...

Sempre faz lembrar a criança en nós...

Doce meu beijo