sexta-feira, abril 20, 2007

HELENA




HELENA


Helena fora já, num outro tempo,
Um nome atravessado em meu caminho.
A vida quis-me pai e, num momento,
Gerada foi Helena, meu carinho.

Talvez por ser maior, no coração,
A esp'rança, nesta filha, investida,
Sofri muito maior desilusão
Por vê-la, tantas vezes, tão perdida.

Não sendo, como pai, o mais perfeito,
Não deixo, mesmo assim, e do meu jeito,
De ter-lhe grande amor, desde pequena.

Se a Deus, em Sua graça, Lhe aprouver,
Será bem mais feliz, como mulher,
A filha por quem temo, a minha Helena.



VITOR CINTRA

do livro " ECOS "

5 comentários:

Papoila disse...

Belíssimo este soneto do amor de um pai a sua filha1 Linda a imagem.
Beijo

jpg - o sineiro disse...

Boa tarde!

Visitei os que, como eu, concederam á Papoila o Thinking Blogger award, uma brincadeira que está a servir para que alguns excelentes espaços me(nos)sejam revelados.

Entrado aqui, logo a "chanson",esta velha chanson com sabor a mar, me atraiu.

Depois, o soneto, de métrica irreparável, dando-nos o sentir de pai nesta forma de poesia tão difícil de escrever.

Fica aberto mais um caminho para as minhas peregrinações.
E para que não me esqueça, vou colocar em "O Sino da Aldeia" um link para a poesia de Vítor Cintra, caso não se importe, evidentemente.

Um abraço e a continuação de boa poesia.
Jorge P G - o sineiro

Desambientado disse...

Estive fora, no Pico e não tinha acesso à Internet.
Venho-lhe agradecer a honra que me concedeu com a nomeação, apesar de ter tão pouco tempo, últimamente para a blogosfera.

Obrigado

Félix

leituras disse...

Quem te conhece, meu amigo, sabe o que este desabafo, este grito de amor paternal, traduzia de receio, talvez mesmo angústia.
Hoje este belo soneto é somente uma excelente peça poética, já que «Deus, em Sua graça, Lhe aprouve».

Boa semana

Anónimo disse...

Lena
Sem dúvida a mais criativa dos irmãos, a mais sensível,a mais meiga,a mais generosa, a que mais se preocupou com os outros.
uma borboleta colorida,querendo tocar todas as flores.
Desabrochaste no meio de tempestades e tornáste-te belíssima.
Tens um Pai fabuloso( e uma Mãe que não lhe fica atrás)
Tenho muito orgulho em vós. Quero-vos bem.
Tia Luz

PS- Que boa surpresa este blogue!!!