segunda-feira, janeiro 29, 2007

REENCONTRO




REENCONTRO


Assim me queiras tu que, por meu lado
Não vou deixar de amar-te, nunca mais,
Ainda que os dislates do passado
Nos tornem mais diferentes do que iguais.


Nasci para te amar e ser amado
Por ti, que me fizeste recordar
Distantes horizontes do meu fado,
Tão cheio dos azuis de céu e mar.


Nem tudo está perdido, no meu mundo,
Enquanto eu encontrar, no teu sorriso,
A força e o carinho, que preciso.


Serei feliz até, cada segundo
Que vir, do teu olhar, a ansiedade
Sair p'ra dar lugar à f'licidade.




Vitor Cintra

Do livro " Á DISTÂNCIA "

3 comentários:

Anónimo disse...

O sonho dum "Reencontro". Optimo!
Bjs
Mª. João

rute disse...

Muito Muito bonito =)

Manel do Montado disse...

Ab imo pectore
Cada vez que aqui venho encho-me de emoções variadas, de ler excelente poesia que me toca em sentimentos que tive hibernados. Depois consigo lê-la associando-a à musica e lembrar-me dos momentos de amor intenso que vivi.
Por vezes uma lágrima marota salta como que a lembra-me que ainda sou sensível. É isto ou um arrepio.
Depois o meu já cansado coração de soldado diz-me que se quer despir do mal que viu e só quer amar, voltar a amar. Mas o meu olhar frio, triste, como diz uma amiga minha muito chegada, está sempre lá onde nunca quis estar.
Por todas estas emoções um grande obrigado. É sempre gratificante vir aqui.