domingo, novembro 11, 2007

ENTENDIMENTO








ENTENDIMENTO





Independentemente da saudade

Que nos corroi a alma com lembranças,

Existem certas semelhanças

Que podem sugerir proximidade.




De colonizador's fomos chamados,

Em depreciativo tom. Aqui!

O certo é que, pensando o que vivi,

Nós fomos sempre, e só, colonizados.




O colonizados não se sujeita

A viver pobremente a trabalhar,

Sem nada ter, de seu, para mostrar;



Mantém-se, no conforto, sempre á espreita

Da forma de tirar algum partido

Do jugo a que se sujeita o oprimido.









VITOR CINTRA


do livro " ECOS "

4 comentários:

Fernanda e Poemas disse...

Olá querido amigo,
Lindo soneto.
Adorei, sabe me dizer onde encontrar os seus livros.
Já fins uma pesquisa, mas nada.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

Anónimo disse...

Tem um blog muito bonito e com poesia também muito bonita e, já agora... a música também.

BenHaJA

Anónimo disse...

Good post and this enter helped me alot in my college assignement. Say thank you you for your information.

Anónimo disse...

Opulently I acquiesce in but I contemplate the brief should acquire more info then it has.