terça-feira, outubro 23, 2007

ENJEITADO




Batem longe as badaladas;
Chamam gente à oração.
Quantas lágrimas choradas
Por crianças desprezadas,
A viver em solidão.

O menino só, que 'spera
Ter da vida um pouco mais,
Quantas vezes desespera,
Porque os sonhos são quimera,
Sem saber quem são os pais.

E o olhar, que é tão bonito,
Vai na tarde quente, calma,
Mergulhar no infinito,
Triste, meigo mas aflito,
Porque é dor que traz na alma.


VITOR CINTRA
do livro " Relances "

2 comentários:

Vera disse...

Lindo poema!
Quantas crianças há desprezadas, por este mundo fora, sem que ninguém se lembre de as chorar...

Beijinhos

Odele Souza disse...

Triste.